quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Introdução a Teologia Sistemática

A teologia é um conjunto de respostas para os questionamentos do ser humano. Uma vez estas respostas estando dispostas por assuntos passamos a chamar Teologia Sistemática.
Fazer teologia é pegar os ensinos bíblicos e contextualizar nas diferentes culturas e tempos para que sejam relevantes. Isto implica na necessidade de nos levar a prática, não bastando gerar conhecimento teórico.
A principal fonte do saber teológico cristão é a Bíblia como um todo, não fazendo análises distintas livro por livro. Há também a teologia natural, a tradição e as experiências como fontes secundárias. A teologia natural, nada mais é do que a revelação de Deus por meio da natureza (conforme o Salmo 19.1). Estas fontes serão sempre analisadas a luz das Escrituras, para que se possa verificar sua validade.
O teólogo tem como função, hoje, pegar os ensinamentos dos autores bíblicos e reinterpretar, sem que isto implique a perda da essência, dos fundamentos, dos significados do texto. Vale ressaltar que ao reinterpretar é importante saber separar o que no texto bíblico é cultural da época e o que é essência, da mesma forma ao dar novas roupagens não misturar a cultura, senão, esta quando for aplicada a realidades distintas se chocará e trará desconfortos e problemas. Um exemplo é evangelizar índios. Na cultura deles há determinados costumes que não há porque tentarmos mudar, como, por exemplo, o fato de eles andarem apenas de tanga ou suas vestimentas próprias. Aos nossos olhos estamos vendo pessoas nuas, mas eles se vêem plenamente cobertos e, em regra, não há maldade quando se olham assim. Completamente diferente é aceitar seus rituais em que, como é fato notório, quando têm gêmeos matam um deles enterrando ainda vivo, por ser considerado sinal de desgraça manter os dois vivos.
Sempre ao analisar um texto deve-se, com base no padrão estabelecido em todos os livros bíblicos que tratam do assunto, interpretar qualquer ponto divergente. Além disso, há outras fontes que nos auxiliam a interpretar a Bíblia, pois, como dito anteriormente, há fontes secundárias que, sujeitas as Escrituras, servem para contribuir na interpretação. Até disciplinas não-bíblicas nos auxiliam, visto que por meio da filosofia, psicologia e outras ciências descobrimos pontos que corroboram ou não com nossa leitura da Bíblia, nos fazendo refletir se está correta ou não a linha de pensamento que estamos seguindo.
Um ponto que vale a pena observar é que a teologia deve levantar questionamentos feitos por nossa sociedade e com base neles, apresentar a mensagem cristã. Porém, nem sempre os não-cristãos fazem perguntas que esperamos para que as solucionemos. Também se deve ao proclamar a mensagem bíblica ter ciência com quem se fala, pois a linguagem utilizada com uma criança não é a mesma que usaremos com um doutor, com um drogado, com uma pessoa de pouco estudo. Cada um tem que ser trabalhado de forma particular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário